BP investiga possíveis pedidos de indenização falsos

Polícia na Louisiana admite que fraudadores podem ter ficado com parte do dinheiro pago.

BBC Brasil, BBC

11 de agosto de 2010 | 23h57

A petroleira BP diz estar investigando centenas de pedidos de indenização referentes ao vazamento do Golfo do México para evitar casos de fraude.

O Estado americana da Louisiana, um dos afetados pelo incidente, diz que, desde o início do vazamento, emitiu mais de duas mil licensas de pesca do que no mesmo período do ano passado.

Pescadores na Louisiana precisam ter uma licensa comercial váliada para pedir indenização por causa do incidente.

A BP já pagou mais de US$ 308 milhões em indenizações a pessoas e empresas, mas autoridades americanas dizem acreditar que parte deste dinheiro tenha caído em mãos de fraudadores.

"A BP estava assinando cheques a praticamente qualquer um com uma licensa de pesca e isso pode ter gerado casos de fraude", disse Jeff Mayne, da polícia da Louisiana.

"Não foi realmente investigado se tratavam-se mesmo de pescadores profissionais", completou.

Três pessoas foram presas no Estado na semana passada por tentativa de fraude contra a BP.

Investigações

A BP afirmou que espera recuperar parte do dinheiro se forem comprovados casos de fraude.

"É provável que alguns fraudadores tenham recebido dólares no período inicial. Estes indivíduos vão ser pegos no decorrer das investigações que iniciamos", disse Allen Carpenter, um dos responsáveis da BP pelas indenizações.

O vazamento de petróleo no Golfo do México foi iniciado em 20 de abril, quando uma plataforma operada pela BP explodiu e afundou, em um acidente que matou 11 funcionários.

Somente no dia 15 de julho a BP conseguiu interromper o vazamento.

Ao longo desse período, calcula-se que 4,9 milhões de petróleo tenham sido despejados no oceano, fazendo deste o maior vazamento acidental da história.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.