Braço da Al-Qaeda assume ataque que matou 28 no Mali

O braço norte-africano da Al-Qaeda assumiu a responsabilidade pela morte de 28 soldados no Mali em um ataque no dia 4 de julho, segundo o site "Intelligence Group", de Washington, que monitora páginas de internet de grupos militantes. O braço da Al-Qaeda também assumiu ter capturado três soldados e perdido um combatente.

AE-AP, Agencia Estado

08 de julho de 2009 | 15h16

O braço norte-africano da Al-Qaeda, conhecido pela sigla AQMI, é um grupo sediado na Argélia que se juntou à rede terrorista de Osama Bin Laden em 2006 e realiza dezenas de ataques todos os meses. O grupo opera principalmente na Argélia, mas é suspeito de cruzar as fronteiras para espalhar a violência no resto do norte da África. O AQMI também afirmou ter matado 100 pessoas em 17 ataques em maio e no começo de junho na Mauritânia.

Tudo o que sabemos sobre:
terrorismoAl-QaedaMaliatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.