Branson vai apelar contra compra da aérea BMI pela IAG

O empresário Richard Branson disse neste domingo que a Virgin Atlantic irá entrar com um apelo legal contra a aquisição da companhia aérea britânica BMI pela International Consolidated Airline Group. A International Consolidated pagou 172,5 milhões de libras pela BMI para a alemã Lufthansa. Em um comunicado, Branson, que é proprietário da Virgin Atlantic, disse que a concentração de participação no aeroporto britânico de Heathrow nas mãos de apenas uma empresa será danosa para a competição na aviação do Reino Unido, o que levará a passagens mais caras.

EDUARDO MAGOSSI, Agência Estado

15 de abril de 2012 | 11h14

No comunicado, Branson diz que "as regras de competição deveriam proteger o cliente de situações de monopólio onde as companhias podem colocar qualquer preço e parar de investir em seu produto. Nestas situações, o público sofre, a indústria sofre e o país sofre", afirmou.

No final de março, a Comissão Europeia aprovou a aquisição, com a objeção de que os novos proprietários da BMI reduzam sua presença em Heathrow. A compradora IAG, também proprietária da British Airways e da Iberia, elevou sua participação no aeroporto internacional - o mais movimentado do mundo - com a aquisição da BMI, mesmo com as concessões. As participações em Heathrow são valiosas porque o aeroporto, o principal destino europeu para as lucrativas rotas transatlânticas, está operando com capacidade total. Com a BMI, a IAB eleva sua participação nas decolagens em Heathrow de atuais 43% para 51%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
aviaçãoVirgin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.