Brasil aceita pedido de desculpas da França

O governo brasileiro aceitou as desculpas da França sobre o incidente diplomático provocado pela entrada de um avião militar francês no Brasil em 9 de julho. Segundo o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, o pedido de perdão foi aceito mesmo "não tendo sido explicitado na nota oficial (do Quai d´Orsay)". "Quando se convida alguém para ir à sua casa, mas essa pessoa lamenta não poder fazê-lo, podemos considerar (isso) como um pedido de desculpas", disse Amorim.O chanceler francês, Dominique de Villepin, justificou a decisão "pela urgência de enviar uma missão médica a Manaus para tentar, em vão, resgatar a ex-candidata à presidência da Colômbia Ingrid Betancourt", seqüestrada no início de 2002 pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), afirmou Amorim. O Itamaraty havia dito anteriormente que eram "insuficientes" as informações dadas pelo embaixador da França em Brasília, Alain Rouquié, a quem foi pedido em duas ocasiões "explicações consistentes".Amorim e os embaixadores de França e Colômbia em Brasília serão convocados na próxima semana para testemunhar na comissão de Relações Exteriores do Senado sobre o "incidente diplomático", disse à Associated Press o senador Mozarildo Cavalcanti (PPS-RR). Na opinião do senador, as explicações do governo francês "não são suficientes para que sejam consideradas uma desculpa oficial".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.