Brasil ajudará na libertação de reféns das Farc, afirma governo da Colômbia

País aceitou colaborar com as gestões necessárias para a libertação de cinco reféns da guerrilha

Agência Estado e Reuters,

23 de dezembro de 2010 | 20h10

BOGOTÁ- O Brasil colaborará uma vez mais com o governo colombiano no processo de libertação de cinco reféns do grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), informou o governo de Bogotá nesta quinta-feira, 23.

 

No último dia 8, as Farc informaram, por meio de nota, que libertariam três militares e dois civis como "gesto humanitário" e em reconhecimento ao trabalho da senadora colombiana Piedad Córdoba, cassada por acusações de colaborar com a guerrilha.

"O Brasil aceitou colaborar com as gestões necessárias para a libertação de cinco reféns anunciada recentemente pelas Farc", informou o governo colombiano em nota enviada por e-mail a jornalistas.  "O governo está esperando que as Farc definam uma data e um lugar para a entrega."  

No passado recente, o Brasil colaborou com a Colômbia em pelo menos dois processos de libertação de reféns, oferecendo inclusive helicópteros e tripulantes para as ações de resgate, atuando como parte neutra nas negociações entre o governo e os guerrilheiros.

 

A guerrilha está enfraquecida após quase dez anos de uma ofensiva militar do governo colombiano com ajuda dos EUA. Os rebeldes ainda mantêm cerca de 18 reféns de caráter político, alguns deles há mais de dez anos em cativeiros na selva.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcBrasilColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.