Brasil apresenta candidatura de Vannuchi à CIDH

Em um sinal de paz à Organização dos Estados Americanos (OEA), o Brasil apresentou ontem a candidatura de Paulo Vannuchi para a mesa diretora da Comissão Interamericana de Direitos Humanos. O Palácio do Planalto ainda emitiu mais um gesto significativo ao pagar integralmente - até abril - sua cota anual de US$ 8 milhões à OEA.

WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2013 | 02h05

"A indicação de Vannuchi foi um bom sinal. Mostra a intenção do Brasil de normalizar a relação com a OEA e retomar o diálogo com a CIDH", afirmou um diplomata que acompanhou o caso. A tensão começou em abril de 2011, quando a CIDH emitiu uma medida cautelar para paralisar as obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, sob a alegação de que o Brasil não consultou ribeirinhos e indígenas afetados pela obra.

A disputa com o Brasil enfraquecia o sistema interamericano de direitos humanos, fustigado pelos países considerados "bolivarianos". / D.C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.