Brasil busca reunião sobre violações de cingaleses

O Brasil tenta atuar como mediador para realizar na ONU uma reunião sobre a situação dos direitos humanos no Sri Lanka. Antes do anúncio do fim da guerra entre os rebeldes e o governo cingalês, ontem, os países europeus tentavam organizar uma sessão especial do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas para alertar sobre o tema.Mas os governos asiáticos criticaram a atitude de Bruxelas. E até ontem, a União Europeia (UE) não tinha reunido o apoio de 16 países - mínimo necessário para convocar uma sessão especial. Em meio à falta de um consenso, o Brasil sugeriu a realização de uma reunião com especialistas, representantes dos governos e a ONU para discutir sobre as violações dos direitos humanos. A proposta foi aceita pelo governo cingalês, pela ONU e por parte dos europeus. Mas entidades como a Human Rights Watch acham que ela não será suficiente para condenar o governo do Sri Lanka ou os rebeldes tigres tâmeis - acusados por ONGs de ter matado milhares de civis.

Jamil Chade, GENEBRA, O Estadao de S.Paulo

18 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.