Brasil começa a embarcar veículos para o Haiti

O navio de desembarque de carros de combate Mattoso Maia recebeu hoje 57 veículos - entre caminhões, urutus e reboques - que vão auxiliar a tropa de 1.200 militares da Marinha e do Exército, destacados para a missão de paz da ONU no Haiti. Na sexta-feira, haverá o embarque de parte do contingente, formado por 63 fuzileiros navais e 48 militares do Exército. A missão brasileira no país da América Central, desestabilizado por uma guerra civil, deve durar seis meses. O Mattoso Maia, que tem 160 metros de comprimento, atracou no Comando da Divisão Anfíbia, na Ilha do Governador, zona norte, por volta de 10h30. Devido a uma falha no encaixe da rampa fixa com a rampa móvel do navio, o embarque dos veículos só teve início às 15 horas, sob "saudação" do hino dos fuzileiros navais. Por uma exigência da ONU, todos os carros foram pintados de branco e receberam a inscrição UN (sigla das Nações Unidas em inglês) em preto. Compõem a frota: caminhões-tanque (chamados também de cisternas) que levarão água e combustível, reboques geradores de energia elétrica, reboques-cozinha, caminhões com frigorífico, purificador de água, ambulâncias, urutus blindados, entre outros. No embarque de hoje, 20 veículos eram da Marinha e 37 do Exército. Para evitar os efeitos nocivos da maresia, os automóveis devem passar por manutenção quase diária. A viagem até o Haiti tem previsão de duração de 18 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.