Brasil convoca embaixador de Israel e expressa 'indignação' com ataque

Itamaraty manifesta preocupação com brasileira que estava em um dos navios abordados.

BBC Brasil, BBC

31 Maio 2010 | 15h12

O governo brasileiro afirmou, em nota oficial divulgada nesta segunda-feira, que recebeu a notícia do ataque à frota que levava ajuda humanitária a Gaza com "choque e consternação".

"O embaixador de Israel no Brasil está sendo chamado ao Itamaraty para que seja manifestada a indignação do governo brasileiro com o incidente e a preocupação com a situação da cidadã brasileira", diz a nota.

O texto se referiu à brasileira Iara Lee, que estaria entre os passageiros de um dos navios da frota.

Segundo o documento assinado pelo Ministério das Relações Exteriores, "não há justificativa" para a investida militar a um comboio "pacífico".

"O Brasil considera que o incidente deva ser objeto de investigação independente, que esclareça plenamente os fatos à luz do Direito Humanitário e do Direito Internacional como um todo", diz o documento.

Para o governo brasileiro, "os trágicos resultados da operação militar israelense denotam, uma vez mais, a necessidade de que seja levantado, imediatamente, o bloqueio imposto à Faixa de Gaza".

Ainda de acordo com a nota, o ministro Celso Amorim determinou que sejam tomadas "providências imediatas" para a localização da cineasta brasileira Iara Lee, que estava a bordo de uma das embarcações da expedição.

Suplicy

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP), que chegou a ser convidado a participar da expedição humanitária à Faixa de Gaza, disse nesta segunda-feira que também tentará um contato com o embaixador de Israel no Brasil, Giora Becker.

"Fiquei muito preocupado com esse episódio. Desde o início, os organizadores da expedição deixaram claro de que se tratava de um movimento totalmente pacífico", disse o senador.

Segundo Suplicy, o convite para integrar a frota chegou há cerca de dois meses. "Mas eram duas semanas de votações importantes no Senado, por isso tive de recusar", disse.

Em um artigo direcionado ao governo de Israel e publicado no Jornal do Brasil na última segunda-feira, o senador fez um "apelo" para que as autoridades israelenses permitissem a viagem dos oito navios.

Em resposta, o embaixador de Israel no Brasil, Giora Becker, escreveu que seu governo ofereceu aos organizadores da expedição transferir a ajuda para as passagens terrestres. "Mas, infelizmente, devido a razões políticas e de propaganda, nossa oferta foi recusada", diz o texto. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
gaza israel oriente medio frota ativistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.