Brasil e Argentina fazem convênio para voto eletrônico

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Sepúlveda Pertence, e o governador da província de Buenos Aires, Felipe Solá, assinaram um acordo para implementar o sistema de voto eletrônico brasileiro na província de Buenos Aires, nas próximas eleições do dia 14 de setembro. As eleições provinciais argentinas serão realizadas em datas diferentes, até dezembro. O custo estimado está em 250 mil pesos para os cofres da província, destinados ao pagamento de estadia, alimentação e transporte dos técnicos brasileiros. O governo do Brasil fornecerá, gratuitamente, o apoio técnico e mil urnas eletrônicas que sairão do Estado do Rio Grande do Sul, das quais 710 serão usadas nas eleições e as demais 290 servirão para a capacitação e divulgação do sistema. As urnas serão enviadas na próxima semana e, neste primeiro momento de implantação do sistema no país, somente 270 eleitores terão acesso ao voto eletrônico. De acordo com o chefe de Gabinete da Presidência, Aníbal Fernández, o governo argentino acompanhará de perto o sistema e "poderemos avaliar se adotaremos para as próximas eleições presidenciais". De acordo com o ministro Sepúlveda Pertence, o Brasil já iniciou conversações para exportar o sistema do voto eletrônico para a Colômbia e a República Dominicana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.