Brasil e Estados Unidos fecham acordo sobre segurança aérea

Pelo documento, países vão ampliar colaboração em áreas como monitoramento e capacitação de profissionais.

BBC Brasil, BBC

19 de outubro de 2010 | 22h54

Napolitano elogiou apoio do Brasil a leis que ampliam segurança em voos

Autoridades do Brasil e dos Estados Unidos firmaram nesta terça-feira um acordo sobre segurança aérea internacional para aprimorar as medidas de controle em aeroportos.

O documento foi assinado pelo ministro da Defesa do Brasil, Nelson Jobim, pela a secretária de Segurança Interna dos EUA, Janet Napolitano, e por autoridades da Infraero e da agência para a Segurança do Transporte Aéreo (TSA).

Pelo acordo, a colaboração entre os dois países deverá ser fortalecida em áreas como desenvolvimento de novas práticas de monitoramento, teste de equipamentos de segurança e capacitação de profissionais.

"De maneira conjunta, a comunidade internacional está criando uma base para a segurança internacional do século 21, que deixará o tráfego aéreo mais seguro do que nunca", disse a secretária.

"Estou ansiosa para trabalhar mais de perto com meus colegas brasileiros para dar continuidade ao nosso trabalho conjunto para proteger melhor o sistema aéreo internacional."

Atentado frustrado

Napolitano elogiou o apoio brasileiro ao projeto da Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO, na sigla em inglês) que determina novos parâmetros para evitar ataques terroristas em aviões.

Após uma tentativa de atentado em 25 de outubro de 2009, na qual um nigeriano pretendia detonar um explosivo em um voo entre Amsterdã e Detroit, os Estados Unidos realizaram cinco reuniões internacionais para fortalecer a segurança aérea no mundo.

O tema da segurança aérea ganhou força nos Estados Unidos após a tentativa de atentado de 25 de dezembro de 2009, por um jovem nigeriano que pegou um voo entre Amsterdã e Detroit. Após o atentado frustrado, os Estados Unidos promoveram cinco reuniões internacionais para melhorar a segurança aérea.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.