Brasil e Paraguai apóiam Uruguai em briga com a Argentina

O Governo uruguaio divulgou nesta sexta-feira a ata da 62ª Reunião do Mercosul, realizada em Buenos Aires. Nela consta o apoio do Brasil e Paraguai à convocação de uma Reunião do Conselho do bloco para tratar do litígio entre Buenos Aires e Montevidéu sobre a construção de duas fábricas de celulose. A divulgação do documento ocorreu pouco depois que a Argentina negou que o Brasil e o Paraguai tivessem apoiado o pedido do Uruguai de convocar uma reunião urgente do Conselho do Mercosul, como tinha afirmado o Governo uruguaio. Segundo o ata divulgada em Montevidéu na noite desta sexta-feira, "a delegação do Uruguai manifestou sua preocupação pela falta de resposta a sua solicitação de 7 de abril, para que seja convocada uma Reunião Extraordinária do Conselho do Mercado Comum (CMC) a fim de considerar os impedimentos à livre circulação entre Argentina e Uruguai". O texto acrescenta que "a Delegação do Brasil manifestou ter conhecimento da solicitação uruguaia de convocação de um Conselho do Mercado Comum Extraordinário". "O Governo brasileiro avalia positivamente a solicitação uruguaia na medida em que oferece uma oportunidade para o desenvolvimento do diálogo e a busca de soluções baseadas nos princípios de solidariedade e espírito comunitário do Mercosul", diz a ata. Por sua vez, segundo o documento divulgado em Montevidéu, "a Delegação do Paraguai expressou seu apoio à realização da Reunião Extraordinária do CMC, na qual deverão ser tratados outros temas da agenda do Mercosul, que necessitam de especial atenção". Finalmente, a Delegação da Venezuela, país que está em processo de integração como estado membro do Mercosul, "manifestou-se a favor de obter um consenso em torno deste tema com o objetivo de fortalecer a integração". O Governo argentino, pouco antes da divulgação da ata da reunião, disse, através de comunicado emitido em Buenos Aires, que, "ao contrário do que disse" o Ministério de Relações Exteriores do Uruguai, não houve apoio do Brasil nem do Paraguai. Segundo acrescentou a nota argentina, o assunto foi tratado em reunião de negociadores e técnicos dos quatro países, realizada nesta quinta-feira em Buenos Aires, de cujo resultado "não se observa o apoio atribuído ao Brasil e ao Paraguai à solicitação uruguaia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.