Brasil entra no currículo das escolas americanas

Nos últimos três anos, a veiculação pela Internet de mapas falsos da "Amazônia internacionalizada", que supostamente constariam de manuais usados em escolas dos Estados Unidos, alimentou polêmicas estéreis no Brasil a respeito dos desígnios norte-americanos para o território nacional. A partir de agora, os teóricos da conspiração terão que usar outro expediente. Numa iniciativa da embaixada do Brasil em Washington e do ministério das Relações Exteriores, milhares de professores de escolas primárias e secundárias americanas passarão a receber material didático sobre o Brasil. O projeto, chamado "Discover Brazil", foi lançado pelo embaixador do Brasil em Washington, Rubens Barbosa, na Escola Pública Primária Tubman, num bairro predominantemente negro e latino de Washington."O Brasil é um país com um território tão grande e uma população etnicamente tão diversificada quanto os Estados Unidos", disse Barbosa aos 15 alunos da sexta séria da professora Beverly Battle, durante uma breve aula inaugural. "Nós queremos que vocês aprendam sobre o nosso país porque isso é importante para que haja um melhor entendimento entre o Brasil e os Estados Unidos". A sala estava decorada com bandeiras brasileiras desenhadas pelos estudantes, que estavam preparados para receber o embaixador, e fizeram-lhe várias perguntas. O objetivo inicial do projeto é atingir 50 mil salas de aula e 1,5 milhão de alunos de sexta, sétima e oitava séries de escolas públicas em vinte Estados. O material didático consiste num mapa colorido do Brasil enquadrado por informações gerais e fotografias das regiões mais representativas do País. No anverso, há textos com as informações essenciais sobre a história, geografia, a economia e a sociedade brasileiras. O folheto foi desenvolvido pela embaixada do Brasil e pelo Itamaraty com a assessoria técnica da Scholastic, a maior editora de livros didáticos dos EUA, a um custo de US$ 150 mil. A iniciativa tem apoio da Editora Abril, do Banco Itaú, da Embratur, da Riotur e do governo da Bahia.O "Discover Brazil" é inspirado num programa semelhante, "Brazil in the Schools", que Barbosa iniciou na Inglaterra quando comandou a embaixada do País em Londres. Para estimular a participação dos professores e alunos, o projeto inclui um concurso de redação. A professora da classe que vencer receberá como prêmio uma viagem à Bahia. O aluno vencedor será brindado com um computador fabricado no Brasil. A mãe do prefeito de Washington, Virginia Williams, compareceu ao lançamento do programa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.