Brasil evita críticas a Cartum para atrair bloco africano

O governo brasileiro não se manifestou ontem sobre o caso. Mas o Itamaraty tem evitado condenar o Sudão na ONU e chegou até mesmo a mediar acordos para marginalizar projetos de resolução contra o governo de Cartum. O Brasil ainda acredita que os votos africanos são decisivos numa eventual eleição do País ao Conselho de Segurança. A ordem é não se intrometer em temas internos de Cartum. "Temos ótimas relações com o Brasil", disse o vice-ministro de Justiça, Abdoldaem Mohameain Ali Zomrawi. Há um ano, diplomatas brasileiros pediram a revisão de uma resolução do Conselho de Direitos Humanos da ONU crítica ao Sudão. Ao final, a posição do Itamaraty prevaleceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.