Brasil expande intercâmbio universitário com a Espanha

Em Madri, Dilma e Mercadante anunciaram renovação e ampliação de programas de âmbito universitário e de ciência e tecnologia.

Liana Aguiar, BBC

19 de novembro de 2012 | 19h57

Em visita a Madri nesta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff e o ministro da Educação Aloizio Mercadante anunciaram a renovação e ampliação de dois programas, um de âmbito universitário e o outro, de ciência e tecnologia.

Lançado em 2010, o ProUni-Salamanca, uma associação entre o braço internacional do Programa Universidade para Todos (ProUni) com a Universidade de Salamanca e o Banco Santander, foi renovado por mais quatro anos.

A iniciativa oferece bolsas de estudos para 10 jovens brasileiros de baixa renda e com bons resultados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de todas as regiões do Brasil na Espanha.

Já o Ciência sem Fronteiras, considerado "a menina dos olhos" da presidente Dilma, abrirá nesta terça-feira, 20, a segunda chamada para o próximo ano letivo aos interessados em aprofundar os estudos em território espanhol.

A Espanha é o país que teve o maior número de alunos brasileiros inscritos na seleção do programa. Neste primeiro ano da parceria, já estão no país 2.297 estudantes de graduação e pós-graduação.

A iniciativa faz parte do objetivo do governo brasileiro de enviar até 2014 mais de 100 mil estudantes brasileiros para temporadas de estudo no exterior. Somente na Espanha, serão mais de 2 mil por ano.

Em discurso no último sábado, 17, Dilma apresentou o Ciência Sem Fronteiras aos chefes de Estado e de governo da Espanha, Portugal e países da América Latina que participavam da 22ª Cúpula Ibero-americana, em Cádiz, no sul da Espanha.

Na ocasião, ela chamou o programa de "um bom exemplo de cooperação no espaço ibero-americano".

Experiência

Laiane Lemos, 22 anos, é uma das jovens do programa Ciência Sem Fronteiras na Espanha.

Ela estudou em escolas públicas de Curitiba, é aluna de biologia da Universidade Federal do Paraná e, atualmente, faz intercâmbio na Universidad Autónoma de Madrid.

A jovem vive com familiares na capital espanhola e recebe do programa brasileiro uma bolsa de estudos de 870 euros (R$ 2,2 mil).

"Além de aprender melhor o idioma, tenho aulas em excelentes laboratórios, bons professores e estou vendo conteúdos avançados em relação ao Brasil. Sem dúvida, essa experiência aqui vai ajudar muito na minha carreira como bióloga", disse.

A Casa Brasil foi idealizada pelo presidente Juscelino Kubitschek, em 1959. A construção do prédio, de propriedade do Brasil, segue o estilo modernista de Brasília.

Mercadante anunciou ainda uma parceria com o Banco Santander, que vai destinar 30 mil bolsas de idiomas a estudantes brasileiros. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.