Brasil felicita palestinos por reconhecimento na Unesco

País votou a favor do ingresso da Autoridade Palestina na agência de cultura e educação da ONU

estadão.com.br

31 de outubro de 2011 | 14h50

BRASÍLIA - O Itamaraty felicitou a Autoridade Palestina (AP) nesta segunda-feira, 31, pela adesão à agência de cultura, ciência e educação das Nações Unidas, a Unesco. O Brasil votou a favor do reconhecimento do Estado palestino no órgão na votação realizada em Partis.

 

Veja também:

linkUnesco reconhece Estado palestino como membro pleno

linkIsraelenses criticam decisão da Unesco

linkPalestinos buscarão adesão a outros órgãos

tabela HOTSITE: A busca pelo Estado palestino

 

Em nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores, o governo destaca a vitória obtida pelos palestinos, já que o ingresso é o primeiro em um órgão ligado à ONU. "O governo brasileiro felicita a Palestina por sua admissão como membro pleno da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura [Unesco]", diz o comunicado.

 

"Com o resultado, a Palestina torna-se o 195º Estado-Membro da Unesco - primeira agência especializada do sistema das Nações Unidas a admitir a Palestina como membro pleno", finaliza a nota. A decisão de admitir os palestinos como Estado foi aprovada por 107 votos a favor, 14 contra e 52 abstenções.

 

Vários países latino-americanos e potências emergentes, como China e Índia, se posicionaram de forma favorável ao ingresso do Estado palestino à Unesco. Contrários ao ingresso estão nações como Estados Unidos, Alemanha e Canadá. A França também se mostrou favorável, enquanto a Grã-Bretanha se absteve.

 

Com o voto, o Brasil reafirma sua posição em relação à empreitada palestina para conseguir o reconhecimento de seu Estado na ONU. Em setembro, o presidente da AP, Mahmoud Abbas, levou o pedido de adesão ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, que entregou o documento ao Conselho de Segurança - órgão máximo do organismo internacional que ainda avalia o processo.

 

O governo israelense rejeitou a decisão da Unesco, dizendo que o reconhecimento dos palestinos pode prejudicar a retomada dos diálogos de paz no Oriente Médio.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.