Brasil ficará sem embaixador na Síria

O Brasil ficará sem embaixador na Síria enquanto o ditador Bashar Assad permanecer no poder, informou o Itamaraty. A medida é uma forma de protesto contra os crimes cometidos por Damasco, ao longo de 22 meses de guerra civil.

O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2013 | 02h03

Por enquanto, o embaixador do Brasil na Síria, Edgard Casciano, continuará a despachar do Líbano, para onde se transferiu com a equipe de diplomatas desde julho. Ele assumirá a embaixada em Atenas e seu posto ficará vago.

Para substituir o embaixador Casciano, será nomeado um encarregado de negócios (geralmente o segundo na hierarquia diplomática), que ficará responsável pelo contato com a grande comunidade brasileira que vive ou tem interesses na Síria, informou o Ministério das Relações Exteriores. / JOÃO DOMINGOS, DE BRASÍLIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.