Brasil investigará refugiado

O governo brasileiro vai investigar a suspeita que o ex-padre colombiano Francisco Antonio Cadena Collazos (conhecido como Oliverio Medina) teria retomado ligações com as Farc. Com base nos resultados, o País poderá rever seu status de refugiado político. A decisão de investigar suas atividades foi anunciada ontem à noite pelo Ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, após um encontro com o chanceler colombiano, Jaime Bermúdez. "Manifestamos nossa preocupação sobre as informações de que essa pessoa (Oliverio Medina) continua a atuar com as Farc", afirmou Bermúdez. Em sua primeira visita oficial ao Brasil, Bermúdez teve o cuidado de indicar que não pretende fazer dessa questão um problema para as relações bilaterais. Em 2005, a Colômbia pediu a extradição do ex-padre. O Brasil concedeu o status de refugiado político a Medina em julho de 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.