Brasil liga decisão do Canadá a outros interesses comerciais

O Ministério das Relações Exteriores divulgou agora há pouco uma nota oficial sobre a crise envolvendo os governos brasileiro e canadense na questão da carne. Na carta, redigida após uma reunião pela manhã com cinco ministros, o Brasil concluiu que a atitude do Canadá em proibir as importações de carne brasileira "não encontra justificativa nos fatos e poderia ser interpretada como vinculada a outros interesses comerciais do País, o que seria inaceitável".Os ministros discutiram todas as medidas que o governo e os empresários poderão adotar em relação ao episódio. Na nota, manifestaram a expectativa de que o problema será resolvido no curto prazo com a visita de missão técnica canadense. Essa missão será responsável pela coleta de informações que serão encaminhadas ao governo do Canadá. O objetivo, informa a nota, é que aquele País "disponha dos elementos de informação que lhe permitam levantar prontamente a medida restritiva às importações de carne brasileira".Participaram da reunião os ministros das Relações Exteriores, Celso Lafer; da Fazenda, Pedro Malan; da Agricultura, Pratini de Moraes; do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alcides Tápias; e da Casa Civil, Pedro Parente. Veja a íntegra da nota"Reuniram-se hoje, no Itamaraty, os Ministros das Relações Exteriores, da Fazenda, da Agricultura e do Abastecimento, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, das Comunicações e Chefe da Casa Civil da Presidência da República para avaliar a situação criada pela recente decisão do Governo canadense de suspender a importação de carne bovina brasileira.Os Ministros avaliaram as graves conseqüências, para o comércio exterior brasileiro, das medidas adotadas por iniciativa do Canadá em detrimento das exportações de carne bovina nacional.Avaliaram também a forte e negativa repercussão interna dessas medidas no Congresso Nacional, nos meios de comunicações, no setor produtivo e na sociedade brasileira como um todo. O Ministro da Agricultura informou os demais Ministros a respeito das providências que sua pasta tomou e vem tomando para o controle sanitário da carne brasileira desde o advento, no exterior, de casos da síndrome conhecida como de "vaca louca". Informou igualmente que os dados do controle sanitário da carne brasileira foram transmitidos às autoridades canadenses, nos termos de nota daquela pasta hoje divulgada.Os Ministros reiteraram sua convicção de que o governo brasileiro agiu, no caso, com presteza, objetividade e correção e de que a saúde pública e o bem estar dos consumidores de carne bovina brasileira, no país e no exterior, jamais estiveram sob risco.Concluíram os Ministros que, nessas condições, a atitude do governo do Canadá não encontra justificativa nos fatos e poderia ser interpretada como vinculada a outros interesses comerciais daquele país, o que seria inaceitável.Diante desse quadro, os Ministros fizeram uma avaliação preliminar das ações que o governo e o setor privado brasileiros poderão, com firmeza e serenidade, adotar em relação à situação criada.Expressaram, no entanto, a confiança em que a situação será resolvida, uma vez realizada, no menor prazo possível, a visita de missão técnica canadense para que o Governo daquele país disponha dos elementos de informação que lhe permitam levantar prontamente a medida restritiva às importações de carne brasileira."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.