Brasil mantém fechados portos às Malvinas

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, garantiu ontem ao chanceler argentino Héctor Timerman que o Brasil manterá a decisão recente de não aceitar em seus portos de navios com a bandeira das Ilhas Falklands, Malvinas para a Argentina. O acordo foi feito na última reunião do Mercosul, em Montevidéu, entre Argentina, Brasil, Uruguai e Chile.

LISANDRA PARAGUASSU / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2012 | 03h02

O chanceler britânico, William Hague, depois de uma visita ao Uruguai, disse ao Parlamento britânico que ouviu do governo uruguaio que navios com a bandeira vermelha que representa os territórios além-mar do Grã-Bretanha, ou "outras bandeiras nacionais", seriam aceitas pelos países sul-americanos. Para os argentinos, a declaração soou como uma provocação, já que outras bandeiras poderiam incluir a das Falklands. Patriota confirmou rapidamente a Timerman a posição brasileira. Chile e Uruguai também se manifestara da mesma forma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.