Brasil não apoia condenação a violações no Irã

O Brasil decidiu ficar de fora de uma declaração do Conselho de Direitos Humanos da ONU condenando as violações cometidas pelo governo iraniano há um ano, quando uma onda de protestos contra a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad varreu o Irã. Articulado por Noruega e EUA, o texto teve o apoio de 56 países, incluindo os latino-americanos Argentina, Chile, México e Peru.

, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2010 | 00h00

A diplomacia brasileira, contudo, decidiu se aliar ao grupo de países da Organização da Conferência Islâmica (OCI), liderados pelo Paquistão. Eles afirmam ser "injusto" tratar o Irã como um "caso especial".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.