Brasil não é convidado para negociações

GENEBRA

Jamil Chade CORRESPONDENTE / GENEBRA, O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2010 | 00h00

O governo do Irã proporá hoje que a União Europeia aceite que o acordo nuclear negociado por Brasil e Turquia seja a base das futuras discussões entre Teerã e o Grupo P5+1 (França, Rússia, EUA, China, Grã-Bretanha e Alemanha). O Brasil, porém, não foi convidado para as negociações que começam hoje em Genebra, na Suíça. Washington e Bruxelas consideraram a atuação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva como "ingênua" em relação a Teerã.

Apesar da ausência de brasileiros e turcos, Teerã defenderá a retomada do pacto negociado com os dois países. Pelo acordo, o Irã enviaria 1.200 quilos de urânio de baixo enriquecimento para a Turquia em troca de combustível enriquecido a 20%.

A proposta foi rejeitada porque os EUA acreditam que o Irã tenha muito mais material enriquecido do que isso. O Irã também queria incluir Israel e a segurança regional nas discussões de Genebra, mas sabe que dificilmente o P5+1 aceitará a proposta. Bruxelas apenas indicou que, dependendo dos resultados do encontro, uma nova negociação seria realizada em 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.