Brasil não reforça segurança na Tríplice Fronteira, diz Argentina

O chefe da polícia de Puerto Iguazú, Hugo Miranda, reclamou hoje que o Brasil e o Paraguai não estão fazendo esforços suficientes para reforçar a segurança na Tríplice Fronteira, para evitar a entrada de terroristas. Segundo ele, o controle feito pelos dois países vizinhos "é mínimo". Miranda sustenta que "o Paraguai não controla nem a entrada nem saída de ninguém. Não dá para contar com ele".O governo argentino informou hoje está reforçando a segurança em seu território na Tríplice Fronteira. Na cidade de Posadas, capital da província de Misiones, na fronteira com o Brasil e o Paraguai, o governo instalou esta semana um radar ambulante.Além disso, o governo enviou uma esquadrilha de aviões caças IA 58 Pucará. A intenção é que estes aviões - criados nos anos 70 para combater a guerrilha, que também foram usados na Guerra das Malvinas (1982) - realizem uma intensa fiscalização do espaço aéreo na região.O ministro do Interior, Ramón Mestre, que esteve na área antes de participar da reunião de ministros em Montevidéu, declarou que a Argentina "é um país seguro. Mas não dá para negar que exista algum tipo de risco". Mestre também afirmou que a Tríplice Fronteira "é um lugar com uma população árabe grande que pode ter células (terroristas) adormecidas".Logo após os atentados nos EUA o governo argentino declarou seu apoio incondicional ao presidente George W. Bush, afirmando que poderia mandar tropas. No entanto, nos últimos dias esse discurso tornou-se cada vez mais moderado. Mestre admitiu que a capacidade argentina de "ajudar" os EUA é pequena. "Podemos apoiar os EUA com contribuições na área de inteligência, mas não temos fundos para mobilizar uma força militar fora de nosso território".BCO Banco Central argentino está investigando desde hoje a existência de depósitos ou capitais a nome de integrantes do governo do Afeganistão, de Osama bin Laden e de sua organização terrorista al-Qaeda. As empresas afegãs também foram incluídas na lista que o BC investigará.Os depósitos ou capitais que forem descobertos dentro da Argentina serão imediatamente congelados por ordem do BC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.