Brasil pode sofrer represálias por não apoiar guerra

O Brasil poderá sofrer represálias por parte dos Estados Unidos se mantiver sua posição contrária a um ataque ao Iraque. A opinião foi dada hoje por Jordan Young, historiador e brasilianista da Pace University, em Nova York, em entrevista à Agência Estado.Para Young, os Estados Unidos vão iniciar um conflito com o Iraque independentemente do apoio da Organização das Nações Unidas (ONU). "Eu acho que o presidente Bush vai atacar o Iraque com ou sem os outros países. Os EUA agora estão em posição mundial de poder e eles vão usá-lo. Ele aguarda um melhor momento por causa do grande número de países que está contra a ação", afirmou.Nesta quinta-feira, o ministro das Relações Exteriores, Celso Lafer, defendeu na ONU, momentos antes do pronunciamento de Bush uma negociação diplomática para evitar o conflito com o Iraque."A posição do ministro é inútil, pois não sei que passos ele pode dar para contrariar o presidente dos EUA", disse o professor.Ele citou o protecionismo comercial como uma possível arma de represália ao Brasil. Ao mesmo tempo, acredita que o Congressonorte-americano não deve dar o aval para uma ação dessa natureza que repercutiria na economia.Com relação à eleição presidencial no Brasil, Young afirmou que não importa para os Estados Unidos quem irá vencer. "Nós não estamos olhando para isso. Para nós, o importante é que o Brasil fique como um aliado", avaliou. Segundo ele, o principal ponto da eleição é como o Brasil vai tratar da sua economia.A entrevista do professor Jordan Young pode ser ouvida no site AE Financeiro, da Agência Estado, que opera em caráter experimental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.