Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Brasil quer cadeira para países em desenvolvimento no G-20

Guido Mantega sugere assento com voz e voto para grupo de nações da América do Sul, Ásia e África

estadao.com.br,

03 de outubro de 2009 | 10h54

O Brasil proporá ao G-20, que agrupa potências desenvolvidas e emergentes, que outorgue uma cadeira com voz e voto ao chamado G-24, constituído por países em desenvolvimento como Venezuela, Irã, Paquistão e Peru, disse neste sábado o ministro brasileiro da Fazenda, Guido Mantega, segundo informações da agência AFP.

 

"Levarei ao G-20 a proposta de outorgar uma cadeira permanente para o G-24 com voz e voto", afirmou Mantega, que acaba de assumir por um ano a presidência do grupo de países em desenvolvimento em uma reunião celebrada em Istambul, paralelamente à reunião de cúpula anual do FMI.

 

"O G-24 teria uma representação no G-20 e reforçaria assim a posição dos países emergentes", explicou Mantega, que lembrou que a União Europeia também dispõe de uma cadeira na mesa do grupo de países emergentes e desenvolvidos.

 

Vários países, como India, Argentina, México e o próprio Brasil já dispõem de uma cadeira no G-20. Além destas nações, o G-24 agrupa Colômbia, Peru, Venezuela, Irã, Paquistão, Filipinas, Egito e várias nações africanas, como Costa de Marfim, Gabão ou Gana.

Tudo o que sabemos sobre:
G-20G-24Mantega

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.