Brasil quer mais detalhes sobre resolução para o Iraque

O governo brasileiro indicou que não votará em favor da proposta de resolução da ONU sobre a transferência de soberania para um governo provisório iraquiano se o texto não esclarecer tópicos considerados ainda nebulosos. Em uma sessão informal do Conselho de Segurança das Nações Unidas o representante do Brasil, embaixador Henrique Valle, declarou que o governo brasileiro notou o sentido de urgência da proposta de resolução, encaminhada pelos Estados Unidos e pela Grã-Bretanha. Mas destacou que essa versão preliminar ainda terá de ser analisada em profundidade. Fontes da diplomacia explicaram que o governo brasileiro espera que a soberania do Iraque seja transferida em breve ao povo iraquiano. Porém, Brasília preocupa-se com pelo menos quatro questões, que devem estar claras em uma possível resolução do Conselho de Segurança: a conformação de um governo provisório, que possa ser aceito como representantivo pelos vários setores da sociedade local; as etapas para a transferência de soberania; a amplitude da competência do governo interino e o cronograma de eleições gerais para a sua sucessão por um governo democraticamente escolhido. O Brasil também demonstrou sua preocupação com a permanência das forças de coalizão no Iraque, que envolvem 130 mil soldados sob a liderança dos Estados Unidos, e com a relação que será estabelecida entre o governo provisório e essas tropas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.