Brasil receberá refugiados afegãos

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) anunciou oficialmente hoje, em Genebra, que o Brasil irá receber refugiados do Afeganistão. Segundo o porta-voz do Acnur, Peter Kessler, 45 afegãos irão chegar ao País entre janeiro e fevereiro do próximo ano. As informações são de que o grupo de refugiados será levado para as cidades de Mogi das Cruzes (SP) e Porto Alegre (RS) e, segundo a ONU, caberá ao governo brasileiro garantir a integração dos afegãos à sociedade. De acordo com a ONU, os 45 afegãos estão atualmente vivendo em campos de refugiados no Irã e na Índia, onde mais de 3 milhões de pessoas estão sendo ajudadas pelas organizações internacionais. Kessler, porém, afirma que nem todos os 45 refugiados que virão ao Brasil saíram do Afeganistão após dos ataques terroristas nos Estados Unidos em setembro desse ano. "Alguns já haviam se refugiado no Irã e na Índia antes mesmo dos atentados", explica o porta-voz. Durante uma conferência de imprensa na sede da ONU em Genebra o Acnur elogiou a decisão do governo brasileiro, lembrando que apenas outros 16 países no mundo aceitaram receber refugiados nessas condições. "Trata-se de um passo importante tomado por um país latino-americano em mostrar que apóia a cooperação internacional e a solidariedade em nome dos refugiados", afirma o Acnur. O Brasil é o segundo país da América Latina a promover assistência a afegãos, já que o Chile também havia se oferecido para receber refugiados. Pelos cálculos da ONU, o Brasil atualmente hospeda 2,7 mil refugiados de 50 países diferentes. A maior população de refugiados é de Angola, com mais de 1,6 mil pessoas vivendo no País. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.