Brasil recebeu prévia do acordo no início do mês

Autoridades colombianas entregaram ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a parlamentares brasileiros um resumo do acordo militar entre a Colômbia e os EUA. O documento, ao qual o ?Estado? teve acesso, foi entregue no início de agosto durante visita do presidente Álvaro Uribe ao Brasil. Ele afirma que as atividades nessas bases "serão desenvolvidas no cumprimento do direito internacional". Entre os tratados internacionais citados estão a convenção da ONU contra o tráfico de drogas, de 1988, assinado pelos EUA, Colômbia e outros 152 países, a convenção da ONU contra a delinquência organizada, do ano 2000 (com 147 signatários), e a convenção interamericana contra o terrorismo, de 2002 (com 34 países signatários, entre eles 10 dos 12 integrantes da Unasul)."São bases colombianas, com autoridade colombiana, jurisdição colombiana, mas com cooperação técnica dos Estados Unidos", afirmaram as autoridades de Bogotá. Além disso, sustentam que todas as atividades vão requerer "autorização e coordenação com as autoridades colombianas".Segundo os colombianos, "o uso e o acesso limitado às instalações será orientado para os objetivos comuns", jamais "obedecerá um objetivo unilateral dos Estados Unidos". O texto também diz que "nada" no acordo com os Estados Unidos "poderá afetar terceiros Estados porque sua essência é a cooperação".O resumo também destaca um melindre de Uribe com a falta de apoio dos países da região, ao indicar que "os inimigos da Colômbia são o narcotráfico e o terrorismo, e os Estados Unidos são um país que nos apoiou como nenhum outro nesta luta".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.