Ismail Zitouny/Reuters
Ismail Zitouny/Reuters

Brasil reconhece rebeldes como governantes da Líbia

Conselho Nacional de Transição 'herda' assento do país africano nas Nações Unidas

Agência Estado

16 Setembro 2011 | 14h44

Atualizado às 19h21

 

NOVA YORK - O Brasil reconheceu o Conselho Nacional de Transição (CNT) como os governante legítimo da Líbia ao votar favoravelmente na Assembleia das Nações Unidas pela aceitação do órgão rebelde como representante do país africano no órgão internacional, conforme nota divulgada nesta sexta-feira, 16, pelo Ministério de Relações Exteriores.

 

Veja também:
forum OPINE: 
Onde se esconde Kadafi?
especialESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia
lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi

 

A Assembleia Geral aprovou a concessão do assento da Líbia para o Conselho Nacional de Transição, que liderou os rebeldes que expulsaram o coronel Muamar Kadafi da capital do país africano, Trípoli.

 

A resolução foi aprovada por 114 votos a 17, com 15 abstenções, revelando as divisões na África e na América Latina a respeito de quem deve representar a Líbia.

 

A Venezuela acusou a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) de realizar "ataques aéreos criminosos para instalar um governo fantoche". Um bloco regional do sul da África se opôs à concessão das credenciais ao CNT, mas não conseguiu adiar a votação.

 

O comitê de credenciais da Assembleia Geral havia recomendado por unanimidade que os rebeldes fossem reconhecidos. O resultado significa que o CNT poderá falar em nome da Líbia na reunião ministerial da Assembleia Geral da ONU na semana que vem. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.