Brasil se beneficia da fuga de talentos

Fritz Demopolous chegou à China há 15 anos, criou o site de viagens Qunar e o vendeu por milhões de dólares ao Baidu, o equivalente local do Google.

PEQUIM, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2012 | 03h04

Hoje, o investidor americano busca novas oportunidades de negócios e acredita que elas estão no Brasil, país para onde pretende se mudar no fim do ano.

"Muitos avaliam que há excesso de investimentos na China, com muito dinheiro perseguindo poucas oportunidades. Em outros mercados em desenvolvimento, a situação é oposta", disse ao Estado.

Além da motivação profissional, Demopolous afirmou ter escolhido o Brasil por gostar do "estilo de vida" local, o que inclui um meio ambiente mais preservado que o da China e os bons restaurantes da cidade de São Paulo.

"Minha decisão também foi influenciada por Martin Sorrell, o CEO da agência de publicidade WPP que considera esta a década da América Latina, região da qual o Brasil é a âncora", observou.

Sua ideia principal é adaptar ao mercado local modelos de negócio que funcionaram na China nos últimos anos, em especial os que misturam serviços online com suporte offline, como assistência ao consumidor. / C.T.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.