Brasil será mais agressivo na OMC

O Brasil passa a adotar uma posição agressiva na Organização Mundial do Comércio (OMC). Além da disputa com o Canadá no setor aeronáutico, que já dura cinco anos, o País tem uma participação recorde em consultas (primeira fase de um processo na OMC) e "panels" (estabelecimento de mecanismo de solução de controvérsias) no âmbito da organização. "Estamos utilizando a OMC para reduzir as barreiras aos produtos exportados pelo País aos principais mercados do mundo" afirma um diplomata brasileiro, que lembra que o grande número de processos está exigindo o envolvimento de todos os diplomatas da missão do País em Genebra. No total, são sete os processos simultâneos na OMC em que o Brasil questiona seus parceiros comerciais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.