Brasil suspende abertura de missão em Pyongyang

O Itamaraty condenou ontem o teste nuclear norte-coreano e suspendeu o processo de instalação da Embaixada do Brasil na capital, Pyongyang. O primeiro embaixador brasileiro no país comunista, Arnaldo Carrilho, estava em Pequim, a caminho da Coreia do Norte, mas recebeu a ordem do chanceler Celso Amorim para retardar a chegada a Pyongyang até nova orientação. O Brasil decidiu abrir a primeira embaixada na Coreia do Norte dentro de uma política de cooptação de países que podem apoiar a candidatura brasileira a uma vaga de membro permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas - hoje integrado por EUA, França, Grã-Bretanha, Rússia e China. Além de condenar o teste, o Brasil pediu que a Coreia do Norte retome as negociações para a "desnuclearização da Península Coreana".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.