AP/Ebrahim Noroozi
AP/Ebrahim Noroozi

Brasil suspende sanções contra o Irã

Medida foi tomada após acordo sobre o programa nuclear iraniano

O Estado de S. Paulo

12 de fevereiro de 2016 | 17h43

BRASÍLIA -  A presidente Dilma Rousseff suspendeu as sanções que o Brasil impôs ao Irã no marco das resoluções adotadas pela ONU contra o programa nuclear do país, segundo um decreto publicado nesta sexta-feira no Diário Oficial.

O decreto diz que as sanções adotadas pelo Brasil ficam sem efeito a partir desta sexta-feira em virtude do acordo alcançado entre o Irã, EUA, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha, que pôs fim às tensões com essa nação.


Após esse acordo, no qual o Irã se comprometeu a suspender seu processo de enriquecimento de urânio, a própria ONU recomendou o fim das sanções aplicadas gradualmente a esse país desde 2006.

O Brasil se opôs à adoção de sanções contra o Irã, mas aprovou as mesmas uma vez que foram aceitas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, em "respeito" às decisões desse organismo internacional.

Com o fim das sanções, o governo brasileiro acredita que o comércio com o Irã, que chegou a cair até 30% nos últimos anos, pode triplicar na próxima meia década.

No ano passado, segundo números oficiais, a troca comercial do Brasil com o Irã chegou a US$ 1,67 bilhão, apoiada sobretudo nas exportações brasileiras de produtos agrícolas, setor que fora das sanções adotadas pela ONU. /  EFE
Tudo o que sabemos sobre:
sançõesBrasilIrãDilmaONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.