Brasil teria sido palco de complô contra líder cubano

Fidel Castro fez uma inesperada aparição na festa de 7 de Setembro que a Embaixada do Brasil em Havana preparara em 1963. Despretensiosamente, puxou de lado um repórter que estava lá e, entre baforadas de charuto, disparou um monólogo denunciando que "os EUA têm planos terroristas para matar líderes cubanos" e "estamos preparados para enfrentá-los".

O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2012 | 03h03

O alerta de Fidel foi feito depois de repetidos encontros entre agentes da CIA e Rolando Cubela, veterano da guerrilha de Sierra Maestra alçado ao comando militar cubano. O local dessas reuniões: Porto Alegre. A melhor fonte dos americanos em Cuba em 1963, Cubela e a CIA discutiam um golpe em Havana ou o assassinato de Fidel. "A aparição do comandante na embaixada do Brasil foi um recado. E a CIA entendeu", diz Brian Latell. / R. S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.