Brasileira ajudará em investigação no Timor Leste

Uma brasileira ajudará na investigação e punição dos responsáveis pelos crimes contra a humanidade ocorridos no Timor Leste. A promotora Eloísa de Sousa Arruda, do Ministério Público (MP) de São Paulo, embarca em agosto com destino a Dili, para fazer parte do tribunal instalado pela Organização das Nações Unidas (ONU), como parte da preparação do terreno visando a independência da ex-colônia portuguesa, que estava desde 1975 sob dominação da Indonésia.A principal função dela será processar suspeitos de crimes cometidos durante os conflitos deflagrados por milícias pró-Indonésia, após a realização do plebiscito, que, em 1999, aprovou a independência da província. Eloísa, que é professora de Processo Penal da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, também auxiliará na formação dos promotores e juízes que integrarão o Judiciário local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.