Brasileira ferida em Israel volta na quinta

A funcionária pública municipal Deborah Brando Balzs, 44 anos, deve chegar na quinta-feira a São Paulo, sete dias após o atentado à bomba numa pizzaria de Jerusalém que deixou 15 mortos - além do terrorista palestino - e dezenas de feridos.Deborah e sua madrasta, Flora Rosenbaum Balazs, ficaram feridas no ataque. Jorge Balazs, pai de Deborah, que morava no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, morreu no ataque.Deborah, segundo afirmou hoje à Agência Estado seu filho mais velho, o estudante Bruno Faria, de 21 anos, deve ser internada no Hospital Israelita Albert Einstein, zona sul de São Paulo, para continuar se recuperando. A assessoria de imprensa do hospital não quis comentar a informação. De acordo com fontes israelenses, uma enfermeira do Einstein especializada em remoção aérea viajou para Israel na segunda-feira para facilitar o transporte da paciente. Deborah deve deixar o hospital Haddassah Ein Karem, de Jerusalém, amanhã à noite.Deborah passava a pé a poucos metros da pizzaria quando a bomba explodiu. Ela sofreu queimaduras pelo corpo e cortes provocados por estilhaços.Bruno conversou com ela por telefone no início da tarde de hoje. Disse que sua mãe estava "um pouco melhor". "Ela quer voltar logo para o Brasil", disse Bruno, um de seus três filhos. Flora fica ainda pelo menos mais duas semanas no mesmo hospital em que Deborah está, contou o rapaz, após conversar com ela por telefone.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.