AP Photo/Charles Rex Arbogast
AP Photo/Charles Rex Arbogast

Brasileira ingressa na justiça dos EUA para reaver filho de dez anos

Advogados esperam que as autoridades sigam o entendimento do juiz federal que determinou a soltura de outra criança brasileira na última semana

O Estado de S.Paulo

03 Julho 2018 | 02h18

CHICAGO – Apenas alguns dias após um juiz federal ordenar a soltura de um menino brasileiro de um abrigo em Chicago, advogados de imigração de Boston entraram com um segundo processo pedindo que a mesma corte solte outra criança brasileira. O processo foi apresentado em Chicago na segunda-feira, 02, em nome de Sirley Silveira Paixão, de 30 anos, que pede a liberação de seu filho Diego, de 10 anos.

Mãe e filho chegaram aos Estados Unidos no dia 22 de maio procurando por asilo, mas foram separados logo após a chegada. Sirley foi liberada no dia 13 de junho e está vivendo em Massachusetts. Diego foi levado para o mesmo abrigo que Diogo de Oliveira, o outro menino brasileiro que foi liberado após a ordem de um juiz federal na última quinta-feira, 28.

O advogado de ambos os casos, Jesse Bless, esperava que a liberação de Diogo incitasse as autoridades a soltar também o filho de Sirley Paixão, mas as autoridades recusaram.

O segundo processo, parecido com o primeiro, alega que Diego não pode ser mantido no abrigo sob a alegação de ser um “menor desacompanhado” porque ele estava com a mãe quando entrou nos Estados Unidos.

+ Mais famílias brasileiras com crianças tentam emigrar para os EUA

+ EUA têm 500 brasileiros presos por imigração ilegal e alvos de deportação

O processo, que alega que a prisão do menino é inconstitucional, também afirma que a mãe preencheu todos os documentos necessários para a soltura e diz que as autoridades federais consideraram crível a justificativa de Sirley para pedir asilo no País norte-americano.

Bless disse esperar por notícias de uma audiência ainda esta semana, mas considera que pode haver atrasos devido ao feriado de 4 de julho. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.