Brasileira teria participado de festas de Berlusconi

Um comitê parlamentar na Itália examinou mais 200 páginas de documentos hoje reunidos por promotores que investigam o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, suspeito de pagar por fazer sexo com uma garota marroquina de 17 anos. Além disso, os documentos incluem referências a uma menor brasileira, que teria recebido joias e outros presentes em troca da participação em festas em propriedades de Berlusconi, informou a agência de notícias italiana LaPresse e outros meios de comunicação.

AE, Agência Estado

27 de janeiro de 2011 | 15h02

O jornal espanhol El País identificou a brasileira como Iris Berardi. O diário de Madri afirmou que a "prostituta brasileira" participou das festas do premiê "ao menos duas vezes quando ainda era menor de idade". Hoje, Iris já teria 19 anos. As revelações aprofundam o escândalo envolvendo o premiê de 74 anos. Berlusconi negou ter pagado por sexo e criticou as acusações contra ele.

Os promotores de Milão enviaram documentos adicionais sobre a investigação a um comitê parlamentar, para respaldar seu pedido de realizar buscas em algumas das propriedades de Berlusconi. Além de premiê, Berlusconi é um membro da Câmara dos Deputados. Os membros da Casa têm imunidade parlamentar, que impede sua prisão e investigações criminais, a menos que um comitê decida de outra maneira. Uma decisão sobre a possível autorização das buscas pode ocorrer hoje.

Os novos documentos incluem gravações de conversas entre jovens mulheres que participaram das festas de Berlusconi, com supostas evidências de pagamentos para elas e relatos de que a polícia conduziu mais cedo neste mês buscas em algumas das casas das mulheres. As revelações mais perigosas envolvem a brasileira. Os documentos listam colares, braceletes, brincos e outras joias que ela teria recebido "em troca de sua repetida participação em festas nas villas de Berlusconi", segundo trechos do material. Os objetos foram apreendidos durante uma busca em 14 de janeiro na residência de Iris.

Os documentos apontam que a brasileira estava em uma propriedade de Berlusconi em 22 de novembro de 2009, segundo a LaPresse. A ANSA afirmou que os promotores dizem que ela é uma prostituta e também esteve em uma villa de Berlusconi em Arcore, perto de Milão, em 13 de dezembro de 2009. Essas são as datas mais significativas, pois Iris teria nascido em 29 de dezembro de 1991, portanto nessa época era menor de idade. Pagar por sexo com uma prostituta não é crime na Itália, a menos que a mulher seja menor de 18 anos.

Berlusconi afirma ser inocente e acusa os promotores de motivações políticas para tirá-lo do cargo. Ele insiste que as festas em suas propriedades eram eventos elegantes e apropriados, dos quais não se envergonha.

A marroquina no centro de escândalo, conhecida como Ruby, negou ter mantido relações sexuais com o premiê. Mas a jovem disse que Berlusconi deu 7 mil euros (US$ 9,400) para ajudá-la financeiramente. Ela disse que, quando conheceu Berlusconi, disse a ele que tinha 24 anos, não admitindo que era na época menor de idade. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.