Brasileiro diz que tragédia vai atrasar estação espacial

A explosão do ônibus espacial Columbia não deve paralisar o Programa da Estação Espacial Internacional, mas atrasar seu cronograma. Esta foi a avaliação do coordenador do Programa da Estação Espacial no Brasil, Petrônio Noronhade Souza. Segundo ele, haverá mudanças no cronograma do programa de cooperaçãoBrasil?Estados Unidos, mas as pesquisas não serão paralisadas. ?O que vem sendo feito continuará. O que pode acontecer são alterações nos cronogramas.?Neste sábado à tarde, no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o pesquisador disse queo acidente terá um impacto imediato no programa dos ônibus espaciais. ?Certamente asoutras três naves ficarão em terra. Os vôos serão cancelados e os astronautas terão quedar continuidade aos treinamentos e participar, de maneira efetiva e decisiva, dasinvestigações e pesquisas sobre as causas deste acidente.?Souza informou que a Nasa deve adiar o lançamento das próximas partes da Estação Espacial e formargrupos de peritos para investigar o que realmente provocou a explosão. ?À primeira vista parece que foi o superaquecimento da couraça de proteção térmica da nave. Mas ainda é muito cedo para arriscar sobre as causas. Vai depender de uma análise bem mais profunda.?De acordo com Souza, este acidente foi diferente do que aconteceu com a Chalenger. ?A explosão aconteceu na fase final, de retorno à Terra, a cerca de 60 quilômetros da Terra.?Para o pesquisador, acidentes como este são raros, mas previsíveis. ?Trabalha-se muito para que não ocorra. As chances são mínimas, mas pode acontecer?.O custo de cada nave, sem contar os prejuízos de ordem humana, ultrapassa US$ 2,5 bilhões.VEJA O ESPECIAL

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.