Brasileiro estava desaparecido havia dois anos no Iraque

Construtora e Itamaraty confirmam que restos mortais do engenheiro foram achados

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

No dia 19 de janeiro de 2005, o engenheiro brasileiro João José de Vasconcellos Jr., que trabalhava para a construtora Norberto Odebrecht desapareceu no Iraque. Quatro dias depois, a TV Al-Jazeera divulgou um vídeo em que um grupo militante assumia o seqüestro do funcionário da construtora, em emboscada realizada em conjunto entre as Brigadas Mujahedin e o grupo Ansar al-Suna. O seqüestro foi confirmado pela construtora. No vídeo, anunciavam o seqüestro e exibiam documentos de Vasconcellos, mas não mostraram o refém. Semanas depois, a TV Globo informou que o engenheiro teria morrido, citando como fonte um religioso britânico, que depois negou ter dado tal informação. O engenheiro foi seqüestrado durante um ataque de rebeldes iraquianos contra dois carros que viajavam em comboio perto de uma usina de energia em Beiji, 250 quilômetros ao norte de Bagdá. João José fazia parte de uma lista de pelo menos dez estrangeiros ainda desaparecidos no país, depois de capturados por rebeldes. A Odebrecht era subcontratada por uma empreiteira dos EUA para restaurar uma usina termoelétrica em Beiji, a 180 quilômetros de Bagdá. Em fevereiro, o xeque Ali Mohammed Abdouni, que representa a comunidade muçulmana no Brasil, foi enviado ao Oriente Médio para ajudar a encontrar um desfecho favorável no seqüestro de João José. Abdouni afirmou que governo da Jordânia recebeu informações que dão conta de que o brasileiro estava vivo. A família se desesperava, e até os iraquianos protestavam a favor do engenheiro. O presidente Lula contatou importantes líderes do Oriente Médio e o paradeiro de João José continuava indefinido. O Itamaraty foi acusado de omissão pela OAB, mas logo o Ministério das Relações Exteriores negou que esteja sendo omisso no caso do brasileiro desaparecido no Iraque. Até Ronaldo, atacante da seleção brasileira, chegou a apelar na televisão local em nome do engenheiro desaparecido. Em 2006, a captura de um líder de um grupo terrorista iraquiano envolvido no seqüestro não conseguiu renovar as esperanças do irmão do engenheiro, que acredita que seu irmão já esteja morto e mostra-se cético quanto à possibilidade de que o terrorista detido, Muntasir Muhammad al-Jaburi, tenha informações sobre o destino de João José. No dia 14 de junho de 2007, a Odebrecht solta uma nota confirmando a morte do engenheiro: "Foram localizados os restos mortais do nosso colega João José Vasconcellos Júnior, desaparecido no Iraque em 19 de janeiro de 2005. Após confirmação da identidade de João, por meio de exame realizado por peritos forenses, a repatriação dos seus restos mortais foi realizada com o apoio da Embaixada do Brasil no Kuwait".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.