Brasileiro morre em ataque de grupo separatista na Angola

Identificado pelo nome de Elano, rapaz de 27 anos trabalhava com exploração de petróleo em Cabinda

Efe,

27 de dezembro de 2007 | 16h19

Um brasileiro morreu nesta quarta-feira, 26, durante um ataque armado realizado por um grupo separatista do norte de Angola, informou hoje uma emissora de Luanda.   O ataque aconteceu no enclave de Cabinda, município de Angola que faz fronteira com a República do Congo e a República Democrática do Congo.  Segundo a emissora católica Rádio Ecclesia, dois veículos foram incendiados no ataque. O cidadão brasileiro foi identificado somente pelo nome de Elano.  A emissora responsabilizou uma das facções da Frente de Libertação do Enclave de Cabinda (FLEC), que luta pela separação de Cabinda do resto de Angola. O ataque ocorreu próximo à localidade de Dinge.  O brasileiro, de 27 anos, trabalhava para a empresa Grant Geofísica, que explora o petróleo no bloco 5 da região de Angola  e presta serviço para Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola.   Um dos veículos incendiados pertencia à empresa, e o outro a uma companhia de segurança que trabalha na área.  A plataforma marinha de Cabinda gera dois terços do petróleo produzido por Angola, a segunda potência petrolífera da África depois da Nigéria. O CONFLITO O conflito de Cabinda teve origem em 1975, quando Angola tornou-se independente de Portugal. A região era um protetorado português e não fazia parte do território de Angola, mas foi anexada depois da independência pelas novas autoridades de Luanda.Embora acordos de paz no ano passado tenham sido assinados para dar fim ao conflito armado, existem vozes dissidentes contra dele.As ações armadas são, no entanto, muito esporádicas.

Tudo o que sabemos sobre:
LuandaAngolaConflito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.