Brasileiro que lutou no Iraque diz que não teve medo da morte

O brasileiro Ricardo Call, de 22 anos, que lutou na guerra dos Estados Unidos contra o Iraque disse hoje, ao chegar ao Rio para duas semanas de férias, que não teve medo da morte e garantiu que os iraquianos ficaram felizes com a invasão dos norte-americanos e com a deposição de Saddam Hussein. Call é filho de norte-americano e mudou-se para a Carolina do Norte com um ano. ?Nunca vou esquecer a experiência da guerra?, disse, com forte sotaque. Durante os cinco meses em que permaneceu na guerra, viu vários companheiros da tropa serem mortos. ?Na cidade de Nassiriah sofremos emboscada numa ponte e 18 pessoas morreram?, disse. ?Não é uma coisa que você se prepara para enfrentar. É difícil. Agora estou pronto para descansar?. Call disse que não sentiu medo de morrer ? mesmo depois da emboscada. ?Quando você está lá, não pensa no que está acontecendo no momento. Depois é que você pára para pensar e tem noção do que ocorreu?, disse. Ricardo Call acredita que seus amigos não morreram em vão. ?Não acho que meus amigos morreram à toa. O povo do Iraque estava muito feliz de nos ver lá, eles queriam nossa presença, já que fazíamos serviços humanitários?, disse. Ele tem ainda mais um ano de serviço militar para cumprir e está decidido a largar a corporação. ?Quero fazer faculdade. Mas ainda não decidi o que vou estudar?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.