Brasileiro responderá a outro crime além da morte de garota nos EUA

Um júri federal de Hartford, no estado norte-americano de Connecticut, reformulou nesta quinta-feira o indiciamento e aumentou o número de acusações contra o brasileiro Saul dos Reis Júnior, de 25 anos, que já responde a um processo federal e a outro estadual pela morte de uma menor que conheceu pela internet. O rapaz está sendo acusado agora de já ter tentado seduzir sexualmente uma outra garota, usando a rede de computadores, no verão de 1998. O julgamento pela Justiça federal, que já foi adiado duas vezes, está marcado para o dia 7 de novembro. Em nota na qual divulgou as alterações no processo, a procuradoria federal não informou nome, idade, nem residência da adolescente. Além da acusação de homicídio que consta no processo estadual e até ser apresentado este novo caso, Reis tinha apenas uma acusação na esfera federal por uso da internet para induzir Christina Long, de 13 anos, a ter relações sexuais com ele. No novo indiciamento, há cinco acusações: três pelo uso ilegal da internet e duas por Reis ter feito viagens interestaduais com o propósito de ter relações com a menor. O rapaz trabalhava no restaurante de seus pais em Port Chester, no Estado de Nova York de onde teria saído para encontrar-se duas vezes com Christina num shopping center de Danbury, cidade vizinha mas localizada no estado de Connecticut, onde ela morava. Responsável pelas investigações de crimes que envolvem a internet, o FBI não informa de que maneira chegou à primeira garota que o brasileiro teria tentado seduzir. Mas tudo leva a crer que os investigadores tenham encontrado alguma pista ao examinar a correspondência eletrônica do rapaz. Foi assim que a polícia descobriu que ele marcara encontro com Christina nos dias 10 e 17 de maio, quando a garota desapareceu. Três dias depois do segundo encontro, Reis teria confessado que a estrangulou acidentalmente enquanto faziam sexo no carro dele e levou a polícia até onde deixara o corpo. Segundo informou o procurador federal John Danaher III, se for condenado pelas cinco acusações apresentadas no novo indiciamento, Reis pode cumprir sentença de até 25 anos de prisão, mais três de liberdade vigiada, e ter de pagar US$ 250 mil de multa. O processo estadual, no qual o brasileiro é acusado de homicídio involuntário, ainda está em fase de instrução. Neste caso, ele pode ser condenado à prisão perpétua.

Agencia Estado,

29 Agosto 2002 | 23h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.