Brasileiros fazem protesto em Durban e criticam FHC

Um grupo de 150 brasileiros, que acompanham a Conferência Mundial contra o Racismo, fez esta manhã uma manifestação de uma hora em frente ao plenário da reunião para protestar contra o racismo no Brasil e pedir reparação para os descendentes de escravos. A manifestação, que deveria se restringir a este tema, acabou incluindo também protestos contra o presidente Fernando Henrique Cardoso e a política econômica brasileira. ?Fernandinho, te cuida, a negrada está na rua?, dizia um dos slogans dos manifestantes, que levantaram faixas em português e em inglês contra o racismo e também em defesa de direitos de minorias, como os movimentos de gays e lésbicas.A polícia cercou os manifestantes, confinando-os a uma área de 100 metros quadrados. O ator Antonio Pitanga, marido da vice-governadora do Rio de Janeiro, Benedita da Silva, aconselhou os companheiros a ficarem na área. ?Vamos ficar aqui porque, lá fora, todos os gatos são pardos?, disse. Pela programação oficial, a passeata deveria sair do centro internacional de convenções e marchar até centro da cidade, percorrendo uma distância de dois quilômetros.Além de militantes de organizações não-governamentais (ONG), participaram também membros da delegação oficial brasileira, entre eles o bispo-auxiliar de Salvador, Dom Gílio Felício, que vestia uma camiseta cinza da Pastoral Afro da Bahia. O rabino Henry Sobel, presidente do Rabinato da Congregação Israelita Paulista, passou pelo local mas disse que não participaria da manifestação porque ela era também contra a retirada dos Estados Unidos e de Israel da Conferência. Um dos panfletos distribuídos na manifestação denunciava o ?apartheid? de Israel contra palestinos.Policiais da segurança da ONU apreenderam cartazes de manifestantes e uma bandeira do Brasil trazida por um grupo de índios que também participou da manifestação. A bandeira foi devolvida, mas os cartazes, não. Alguns deputados do grupo de cerca de 20 parlamentares presentes à conferencia participaram da manifestação. O ator norte-americano Danny Glover, do filme Máquina Mortífera, levou sua solidariedade aos brasileiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.