Brasileiros irão à Síria em "comboio multinacional"

Um comboio de dez ônibus parte nesta quarta-feira pela manhã do Vale do Bekaa para retirar brasileiros - e também canadenses, argentinos e paraguaios - em direção à capital da Síria, Damasco. Os ônibus foram alugados pela Associação de Brasileiros no Líbano, mas serão pagos pelo Consulado-Geral do Brasil no Líbano. "Os brasileiros terão prioridade, mas quem tiver passaporte do Canadá, da Argentina ou do Paraguai também poderá embarcar se houver lugares disponíveis", explicou o dirigente da associação de brasileiros, Mohammed Abdouni, que é também vereador de uma cidade do Bekaa.Os cidadãos de outros países embarcarão nos ônibus brasileiros devido a acordos de assistência consular firmados entre os governos. Nesta segunda-feira, um grupo de 73 brasileiros embarcou em Beirute em um navio com destino à Turquia, enviado pelo governo do Canadá.No comboio que saiu nesta terça do Vale do Bekaa viajaram apenas cerca de 300 pessoas, embora a expectativa fosse de que mais de 800 quisessem sair do país.Medo"Nesta última viagem, muita gente não veio, porque estávamos desacreditados", diz Abdouni, em referência aos dois comboios que foram anunciados e de última hora cancelados na semana passada, devido a temores dos motoristas que fariam o trajeto. Abdouni também explica que muitos desses cidadãos brasileiros têm ligações mais profundas com o Líbano do que com o Brasil e hesitam muito em viajar, na expectativa de que os ataques serão reduzidos.Mas Abdouni diz que, desta vez, a associação de brasileiros liberou um amplo comunicado a mais de 20 cidades da região do Vale do Bekaa e incluiu também a possibilidade de outras nacionalidades viajarem."Acredito que, desta vez, os ônibus devem sair cheios daqui." Chegando a Damasco, o consulado brasileiro no país assumirá a responsabilidade pelo transporte e alojamento dos cidadãos de diferentes países até que eles sejam retirados da Síria por seus respectivos países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.