Brasileiros têm dificuldades para deixar NY

Com a irregularidade dos vôos partindo dos aeroportos de Nova York, o Consulado-Geral do Brasil na cidade tem recebido cada vez mais pedidos de ajuda de turistas que querem sair dos Estados Unidos o mais rapidamente possível. Sem poder agir diretamente na solução desse problema, pois a regularização dos vôos depende da autorização dos órgãos norte-americanos de segurança e da disponibilidade de aviões das companhias aéreas, o consulado tem procurado atender casos prioritários, nesta sexta-feira o cônsul-geral, Flávio Perri.O primeiro deles é o de uma universitária brasileira (seu nome não foi divulgado), grávida de sete meses, que está sozinha em Nova York. "O máximo que conseguimos foi a promessa de uma companhia aérea de embarcar a moça de volta para o Brasil na segunda-feira", disse Perri.Os três grandes aeroportos na região de Nova York - Kennedy, LaGuardia e Newark - operaram alguns vôos na quinta-feira à noite, depois de ficarem fechados dois dias. Mas foram interditados novamente, logo depois, quando o FBI deteve pelo menos dez pessoas suspeitas de pertencer a grupos terroristas. Os aeroportos foram reabertos na manhã de hoje, mas a previsão das companhias aéreas era de que os vôos só serão normalizados na metade da próxima semana."Os turistas brasileiros estão estressados, sob a pressão de um ambiente que nunca experimentaram antes, ouvindo sirenes de ambulâncias e bombeiros quase todo o tempo, mas precisam manter a calma", disse o cônsul-geral. "Não vejo risco iminente de a situação na cidade agravar-se." Perri afirmou que o consulado dará toda ajuda possível a quem precisar.O consulado brasileiro em Nova York publicou hoje, na página 6 do segundo caderno do jornal The New York Times, em meio ao noticiário internacional e nacional, um anúncio de 8 por 10 centímetros, em português e inglês, pedindo informações sobre brasileiros que estejam desaparecidos na cidade e sejam considerados possíveis vítimas do ataque aéreo ao World Trade Center. O contato com o consulado do Brasil deve ser feito pelos telefones 1-917-777-7613/7632/7671 e 7672, ou pela internet, no site www.brasilny.org.Desde quarta-feira, quando a representação diplomática organizou o serviço de procura dos brasileiros considerados possíveis vítimas, a relação chegou a 79 nomes, mas 49 deles haviam sido localizados até hoje, segundo informou Perri. A relação dos nomes dos que foram encontrados está no site do consulado na Internet. Até hoje, o cônsul-geral não confirmava nem desmentia a existência de brasileiros mortos no World Trade Center.Hoje, a prefeitura de Nova York colocou à disposição dos consulados e missões estrangeiras sediados na cidade um centro de coleta de informações sobre desaparecidos, localizado na avenida Lexington. O formulário para apresentação de dados de cada pessoa tem sete páginas, solicitando o maior número possível de detalhes, como altura, peso, histórico médico e dentário do desaparecido . O consulado vai encaminhar ao centro todos os pedidos que receber de parentes e amigos de brasileiros que estejam sendo procurados em Nova York.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.