Wolfgang Rattay/Reuters
Wolfgang Rattay/Reuters

Breivik apresenta sinais de insanidade, diz advogado

Geir Lippestad afirmou que seu cliente ficou surpreso por conseguir realizar os ataques e esperava morrer

AE, Agência Estado

26 de julho de 2011 | 09h06

OSLO - O advogado de defesa de Anders Behring Breivik disse que tudo indica que seu cliente tem problemas mentais. Durante uma coletiva de imprensa, Geir Lippestad descreveu Breivik como um homem frio e sem empatia, mas não disse se vai apresentar uma alegação de insanidade durante o julgamento.

 

Veja também:

linkBreivik pode ser acusado por crimes contra humanidade

linkInício do conteúdo ''Não devemos ceder à paranoia'', diz educador

linkExtremista aponta 'malefícios' da miscigenação no Brasil

linkAtirador estava na lista de serviço secreto

mais imagens GALERIA: A 'Marcha das Rosas' de Oslo

blog GUTERMAN: É isso aí a direita?

video VÍDEO: Os danos após a explosão em Oslo

blog ARQUIVO: Relembre ataques na Europa

 

Lippestad afirmou que a audiência sobre o caso realizada na segunda-feira foi encerrada por causa dos temores de que seu clientes poderia estar enviando sinais a outras células do grupo ao qual afirma pertencer.

 

Lippestad acrescentou que Breivik diz ser parte de uma rede anti-islã que tem dois grupos na Noruega e diversos outros no exterior. A polícia norueguesa e investigadores ainda tem dúvida da veracidade dessas informações. "Ele fala sobre duas células na Noruega, mas em diversas espalhadas no exterior", disse Lippestad.

 

Breivik é acusado de explodir uma bomba no centro da capital da Noruega e de fazer disparos que mataram várias pessoas durante um acampamento da juventude do Partido Trabalhista numa ilha a 40 quilômetros ao norte de Oslo na sexta-feira.

O norueguês de 32 anos confessou ter realizado o atentado a bomba na capital e os disparos na ilha de Utoya, que deixaram 76 mortos, e disse que há pelo menos outras duas células do grupo em operação. Apesar disso, ele se declarou inocente das acusações de terrorismo, afirmando que agiu para salvar a Europa do que chamou de colonização muçulmana.

Ainda segundo o advogado o suspeito disse que ficou surpreso de não ter sido detido mais cedo, e que "detesta aqueles que creem na democracia".

Perguntado sobre os motivos que levaram Breivik a realizar o ataque, Lippestad declarou que "ele está em guerra e acha que todo o mundo ocidental não entende seu ponto de vista, mas que em 60 anos vamos entender". O advogado disse também que o acusado odeia qualquer pessoa que acredita nos valores democráticos ocidentais.

De acordo com o advogado, Breivik ficou surpreso por conseguir realizar os ataques e esperava morrer. Lippestad disse que Breivik contou a ele que os ataques foram dirigidos contra o Partido Trabalhista, atualmente no poder, mas que aceitou defender o acusado, apesar de ser ele mesmo um integrante da legenda, embora Breivik não soubesse desse detalhe. Segundo Lippestad, alguém teria que fazer o trabalho de defendê-lo.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
NORUEGAATAQUES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.