Breivik diz que 'há outras duas células em nossa organização'

Segundo juiz, norueguês afirmou que obteve ajuda para realizar atentados em Oslo e Utoya

estadão.com.br

25 de julho de 2011 | 11h01

OSLO - O juiz instrutor do duplo atentado da Noruega, no qual morreram 93 pessoas, afirmou que o acusado, Anders Behring Breivik, disse ter tido ajuda de dois grupos colaboradores para realizar os ataques em Oslo e na ilha de Utoeya.

 

 

Veja também:

linkVítimas postaram no Twitter antes de polícia ser avisada, diz ex-ministra

linkExtremista cristão planejou por 18 meses ataques terroristas na Noruega

linkReis e súditos choram a tragédia norueguesa

blog TOLEDO: Por que a Noruega?

link OPINIÃO: Terror em Oslo
video VÍDEO: Os danos após a explosão em Oslo 
lista Relembre ataques terroristas na Europa
  

 

Anteriormente, Breivik havia afirmado que agido sozinho. "O acusado deu declarações hoje que irão requisitar mais investigações, inclusive quando diz que 'há outras duas células em nossa organização'", disse o juiz.

 

O norueguês reconheceu ter colocado o carro-bomba em Oslo e ter baleado os jovens da ilha de Utoya, embora tenha se declarado inocente.

 

Kim Heger disse que ordenou oito semanas de detenção a Breivik, enquanto o caso é investigado. O juiz, ressaltou que esse prazo pode ser estendido. Breivik permanecerá em uma solitária e não terá acesso a jornais, televisão e visitas por pelo menos quatro semanas.

 

O acusado teria dito que quis defender seu país do islã e do marxismo, mas que sua intenção não era matar o maior número possível de pessoas, e sim mandar uma mensagem para a Noruega e Europa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.