Bremer diz que EUA sairão se governo iraquiano pedir

O administrador civil da ocupação do Iraque, Paul Bremer, disse hoje a líderes regionais que os Estados Unidos deixarão o país árabe se o novo governo iraquiano pedir - apesar de acreditar pessoalmente que isso é improvável. Bremer disse a uma delegação da província iraquiana de Diyala que o Exército dos EUA não ficará em um lugar onde não é bem-vindo. Um governo interino iraquiano deverá assumir a administração civil do país a partir de 30 de junho.Os Estados Unidos têm planos de manter um número considerável de soldados no Iraque depois desta data, quando deverá ocorrer a transição civil. A intenção levou os críticos a questionarem se os iraquianos terão realmente uma soberania genuína.Autoridades americanas têm dito que os termos da presença militar dos EUA serão determinados por um acordo a ser assinado entre o Exército e o novo governo iraquiano. Mais tarde, o porta-voz da ocupação civil Dan Senor alegou que o Exército dos EUA "têm o direito de permanecer no Iraque" com base na resolução 1.511 do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas.Ele ressaltou, no entanto, que Washington espera a concretização de "uma parceria muito próxima com o governo interino iraquiano depois de 30 de junho?. ?A maioria dos iraquianos com os quais lidamos prevêem que essa parceria será um fato. Os líderes iraquianos pretendem manter essa parceira", principalmente no que diz respeito à manutenção da segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.