Brigar com o cônjuge pode prolongar a vida, sugere estudo

Brigar com o cônjuge pode ser bompara a saúde, já que as pessoas que engolem tudo morrem maiscedo, segundo as conclusões preliminares de um novo estudo daEscola de Saúde Pública e do Departamento de Psicologia daUniversidade de Michigan, que acompanhou 192 casais durante 17anos. Os casais foram divididos em quatro categorias --se os doismanifestavam sua raiva quando se sentiam injustamente atacados;se nenhum dos dois manifestava a raiva; se só a esposa semanifestava; ou se só o marido se manifestava. "Eu diria que, se você não expressa seus sentimentos para oseu parceiro e diz a ele qual é o problema quando você éinjustamente atacado, então você está em apuros", disse ErnestHarburg, coordenador do estudo, em entrevista. A pesquisa concluiu que pessoas que engolem as mágoas têm odobro de chance de morrer mais prematuramente que as demais. Houve 13 mortes no grupo de 26 casais em que ambossuprimiam suas emoções, e apenas 41 mortes nos demais 166casais. "Quando os casais se unem, uma de suas principais tarefas éa reconciliação a respeito do conflito," disse Harburg."Normalmente ninguém é treinado para isso. Se eles têm bonspais, podem imitar, tudo bem, mas normalmente um casal éignorante sobre o processo de resolução de conflitos." Segundo o pesquisador, o ressentimento é uma ameaça real esuprimir a raiva leva ao ressentimento. Esse ressentimento, por sua vez, interage comvulnerabilidades médicas que a pessoa possa ter, aumentandosuas chances de adoecer. "É saudável reconhecer que você está sendo atacadoinjustamente, e ainda mais saudável falar e conversar arespeito e tentar resolver o problema se você quiser vivermais", disse Harburg. (Reportagem de Stefanie Kranjec)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.